domingo, 28 de abril de 2013

Compartilha se...

Sou um utilizador assíduo do famoso Facebook, não por poder falar da vida doa outros mas sim para ver as suas vitórias e seus momentos felizes sejam eles quais forem. . Mas há coisas que me enervam. Uma delas é os convites para aplicações,  chovem todos os dias imensas delas. Para isto gostaria de dizer as pessoas que enviam mesmo que sendo automático da aplicação, TIREM O MEU NOME DISSO POR FAVOR. Se eu já o fiz ou ainda o faço (convites) me digam que eu irei tratar do assunto. Outra coisa é as pessoas que se lembram de pedir "likes" para decidirem algo.. se querem opinião ou ajuda em relação à algo peçam a alguém capaz como um psicólogo ou algo do género.  Mas o mais irritante de tudo é fotos onde me dizem que se eu não for racista partilho ou se fosse algo pra gozar partilhava ( com algumas fotos até chocantes). Para essa gente que envia isso apenas quero dizer o seguite...
Não é partilhando uma foto que não sou racista, homofóbico ou sensível.  Eu não sou nada disso e não preciso de fotos de pessoal que se acha muito artista e filosófico para mostrar as minhas escolhas em assuntos como estes. Imensa pessoa que partilha isso é racista ou homofóbica ou insensível mas o partilham para ficar bem vistos socialmente. . Eu socialmente sei me comportar e não tenho preconceitos.. por favor não me misturem nessa panela...

sábado, 20 de abril de 2013

Não sou doutor... o que é que tem???

Há uns tempos atrás uma senhora fez um comentário ao qual fiquei um pouco perplexo. . " então o teu irmão é médico e tu és "obreiro"(...)". Bem,  eu não sei bem o que ela gostaria que eu lhe dissesse mas o que eu respondi foi mais ou menos assim...
Minha senhora, tenho imenso orgulho de ter um irmão médico,  não pelo seu estatuto mas por ele ter alcançado o objectivo que ele tinha desde novo, e para ele lá chegar precisou de estudat muito, bater imensas vezes a cabeça na parede, de ter o nervos à flor da pele,  de chorar, de pensar em desistir mas seguir em frente (meu irmão se estiver enganado rm algo me corrige) e apesar de ter conseguido ele continua a batalhar que pelo o que parece a vida de médico não é bem aquilo que eu pensava nem o que a senhora pensa. Mas para lá chegar ele abdicou de imensas coisas. Agora vamos a mim... eu por minha vez por burrice minha e não por falta de inteligência não aproveitei  as oportunidades que tive na mão mas médico era uma função que nunca esteve nos meus sonhos nem quando em pequeno...tive imensas vontades, ser electrónico, informático,  piloto , até exagerando um pouco ator pornô... não nunca fui nada disso... mas aproveitei imensas coisas, coisas que gostaria de ter partilhado com o meu irmão, coisas que talvez ele quisesse partilhar comigo também.... fiz viagens, fiz amizades, conheci imensos lugares aprendi imensas coisas, aprendi outras línguas, aprendi instrumentos musicais e agora aprendi que nunca fiz nada que me arrependesse mas me arrependo de não ter aproveitado conselhos da minha família e amigos. Hoje ainda me dou bem com todos eles e penso eu que gostam da minhq maneira de ser. . O meu irmão ajuda pessoas mas eu também. . Eu não sei fazer o trabalho dele e ele penso que não saiba fazer o meu.
Hoje em dia quando estamos juntos não temos diferenças em estatuto temos muitas semelhanças e nós irmãos (que somos 3) todos temos filhos lindos e uma família abençoada e que transborda em alegria, será que a sra pode dizer o mesmo da sua? Não sei nem quero saber porque não tenho nada a ver com isso tal como voce não tem nada a ver com a minha. Depois desse comentário pateta de sua parte, entendo a sua frustração de me tentar por abaixo mas isso só aconteceria se eu fosse um zé ninguém e não tivesse as pessoas que estão a minha volta (mesmo as distantes) que me aparam a queda! 
Sem mais palavras acho que esta pessoa entedeu... e estas palavras servem pra muita gente!!!
Felizmente não podemos ter todos a mesma profissão e o mesmo estatuto mas todos somos senhores e senhoras de nós mesmos!

sábado, 9 de março de 2013

Sozinho...

Houve imensas vezes que procurei o meu canto sossegado. Que não queria ver nem estar com ninguém. Poder falar comigo próprio e me entender. Por vezes não era fácil(e ainda não o é) mas gostava de me sentir isolado, como se ninguém me conhecesse ou eu não conhecesse ninguém. Quantas e quantas vezes sai de casa em direção a praia onde estacionava ou carro ou a moto e descia até perto da água apenas para olhar a linha do horizonte?? Quantas vezes não saia da casa dos meus país e entrava na floresta apenas pra ver a resina que havia nos pucaros das árvores? Quantas vezes entrei numa igreja vazia e me sentei rezando à minha maneira e Lhe dizendo o que quisesse? Fiz isso tudo imensas vezes e sinto-me grato por isso. Fez com que pudesse perceber que as vezes sozinho poderia seguir em frente em algumas coisas, que poderia complementar as coisas que poderia fazer com a família e amigos. Vezes que sai a noite completamente sozinho e tornavam se altamente memoráveis, vezes que encontrava paisagens fantásticas e pessoas interessantes, vezes que pude ajudar alguém que precisasse... Tudo isto possível que estava na companhia da melhor pessoa para mim....EU!

sexta-feira, 1 de março de 2013

Dia MAU, Dia Bom


Imaginem mais um dia da vossa vida.. até as coisas mais básicas  Imaginem o acordar, o levantar, todos os movimentos e os primeiros pensamentos do dia,  quando por vezes nos sentamos nas "margens" da cama de mão nos joelhos e "vamos lá outra vez!!" na cabeça. Todos nós temos dias bons e menos bons. Todos nós somos iguais e, a partir do momento que o "vamos lá outra vez" nos proporciona um movimento espontâneo para nos levantarmos e de decidir como vai nos correr o dia. Até o mais simples gesto nos pode influenciar... 
Imaginem o levantar e tudo corre mau,... o meu objectivo é não querer acordar a minha cara metade", penso eu e...  "catrafoda-se" bato em alguma coisa ou deixo cair o telofone no chão e assim não só acordo a cara metade como acordo a nossa garota e de vez em quando até o vizinho. Mas na eventualidade deste acontecimento originam novas aventuras. A ida ao "toilette" para trocar de roupa torna-se enervante, ainda com a "remela" no canto do olho tento vestir a camisola e não acerto no lado correto. Quando finalmente consigo me arrumar chega a hora do pequeno almoço, pequeno só mesmo de nome pois torna-se grande conflito comigo próprio. Começo por tirar o pacote de leite do frigorífico  e quando faço verter o seu conteúdo para a  panela (depois de esta bater em todas a quinas da gaveta e fazer com que as outras se mexam criando assim  um som que volta a acordar os que me rodeiam ) a ultima gota trata sempre de fazer um salpico para o balcão ou para o chão.. e isso me enerva..  logo dou por mim já a dizer palavras que por vezes não aparecem no dicionário. 
Bem... nisto tudo como e preparo a minha "bucha" para o almoço e dou por mim que já estou atrasado. na hora de de calçar o sapatos neste tipo de dia, o nó é sempre cego! ( se tiver as unhas cortadas pior ainda). Agora de sapatos calçados lá vou fazer mil metros a pé para irem me buscar pro trabalho, no caminho apanho sempre semáforos para peões no vermelho e passar mesmo assim que nestes dias têm sempre trânsito. No carro já na companhia dos colegas de trabalho os temas de conversa são:
- "Eles davam chuva e muito vento para hoje...";
- "o SLB ou FCP ou ainda o L'OM (Olympique de Marseille) jogaram ontem, são uns burros não jogam nada";
- "ena!!! o Fulano comprou isto ou aquilo, o Sicrano divorciou, amigou-se ou outros com aquela gaja";
- "Aquilo lá em baixo (Portugal) vai de mal a pior" 
_ "por cá, isto vai de mal a pior".. 
 ... e isto todos os santíssimos dias, todos estes temas iguais, a única coisa que muda é a ordem da conversa. As vezes ainda tento mudar o tema de conversa mas o feedback habitual que recebo é um silencio quase absoluto e "ouço" na minha cabeça o som de uma televisão fora do ar. Começar o trabalho, ver o dia a raiar ou então não, o dia é cinzento e com nuvens que querem desabar sobre nossas cabeças.. cabeçada ali, corte acolá, problemas que vão aparecendo e trabalhos evitados se tivessem sido pensados de outras formas. Hora de almoço silencio quase profunto porque é quebrado pelo tema "-olha, afinal davam chuva mas não choveu!" a resposta a isto é tão construtiva como a afirmação, "-pois não!!!".
  O dia passa devagar e o caminho de volta é feito no silêncio com ambiente a ser "animado" com um típico programa de rádio, onde as pessoas ligam e desabafam as suas vidas, e claro sempre de coisas animadas!!
Chegada a casa, com o dia cheio e cansativo por vezes mostra-nos as pessoas que não somos ou não queremos ser... e isso influencia todos os que no rodeiam, mesmo notamos que todos os que interagiram connosco nesse dia foram influenciados por nós, mas de uma maneira nada positiva. Este dia que passou torna-se um dia facilmente esquecido porque não trouxe nada.. foi só mais um dia. 

Agora imaginem quando tudo corre bem... o meu objectivo em não acordar ninguém, transforma num "cafuné " e um beijinho na cara metade muita vez respondido com um suspiro profundo, um lindo sorriso e um "bom dia amor!". sento me nas margens da cama ainda com vontade de voltar para lá mas o meu " vamos lá outra vez!" é mais dinâmico e poderoso, me levanto, não tropeço em nada não deixo cair nada, corre tudo muito bem, mesmo na hora de me vestir. Na cozinha, nestes dias parecem que as coisas se fazem  sozinhas, basta os movimentos automáticos e todo o pequeno almoço faz-se rápido e sem incidentes. O que me dá tempo para me preparar a vontade, poder sair de casa com tempo, passando de uma corrida de 1000 metros para uma caminhada pela cidade, chegando na hora exacta dos homens dos semáforos estarem verdes. Muitas vezes ao fazer a caminhada ainda ter situações que possa interagir com outra pessoas (ainda há bem pouco tempo atrás ajudei uns homens a descarregar uma coisa pesada de um camião) e deixa-las agradecidas e de sorriso na cara e talvez durante o dia em alguma situação nesses dia vai falar com alguem e contar sobre isto e irradiar ainda mais o "bom vibe" para mais alguém. No caminho já com os colegas de trabalho (os temas de conversa continuam o mesmo mas) ainda dá para mandar uma piada e deixar o ambiente menos hostil. O trabalho faz-se de maneira rápida e  compensatória, mesmo que tenha sido um dia de trabalhar muito. É uma fadiga positiva. No almoço trocam se histórias e experiências e por vezes partilha-se uma garrafa de vinho. No final do dia ainda se aproveita da famlia ou situações inesperadas positivas podem acontecer , quando me deito o dia é lembrado de maneira alegre e serena e será lembrado mais tarde... é um dia vivido!!


sábado, 23 de fevereiro de 2013

Por favor reinicie o seu computador!!!

Já há algum tempo que não escrevia, que chegava a casa e a única coisa que fazia era vaguear em coisas que me faziam perder tempo. Fazer com que os meus dias se baseasse apenas em Dormir, Acordar,Trabalhar e Dormir novamente e essa era a minha rotina. Dava comigo com uma sensação de peso no corpo, uma sensação de desconforto. Sentimento esse que começou a  se alastrar pelo corpo como uma doença maléfica que começava a corroer a alma... 
Dei comigo a voltar a ser a pessoa que não queria ser. Porque eu não sou assim!!!! Eu sou uma pessoa que gosta de contagiar alegria as pessoas próximas  conhecidas e desconhecidas, quero conhecer, quero aprender... Quero viver, porra... Se pensarmos bem, quais são as memórias que melhor ficam em nosso pensamento? Para mim (não querendo me transformar em qualquer cena filosófica mas,) as memórias que ficam são as boas e as melhores. Um dia de memória negativa é um dia perdido, é como dizerem que um cigarro tira sete anos de vida. Eu não me lembro de quando eu fumei um cigarro há dias, meses ou anos... vou me lembrar mais facilmente do "quando eu fui com a minha família comer um sorvete em tal dia, mês ou ano". Eu sei que o cigarro é uma coisa má para mim e que não é positivo então não me relaciono com o acto-sentimento do momento o que não me traz memórias(sequer), e um dia pode ser como um cigarro "de 24 horas", negativo do inicio ao fim, de ficar um dia perdido, uma memória apagada daquilo que poderia preencher com algo de novo aprendido... 
Comecei a reparar que quando fazia a minha jornada rotineira, tinha o corpo presente mas o meu "ser" estava como  um modo de suspensão de um bom computador, onde ele está desligado e basta um clique no rato para arrancar e mostrar o seu poder. Era assim que eu me estava sentindo, encravado e apenas em stand-by. 
não assimilava reacções nem qualquer tipo de conforto... começo a dar por mim como um robô que é controlado pelo relógio, que não tinha tempo p'ra nada, não tinha tempo ou vontade p'ra fazer algo com a família ou mesmo para comigo mesmo.

Começava a me sentir cansado, o trabalho tonara-se cansativo, em casa tornava-se cansativo e eu iram por fim me tornar cansativo... "Eita, como eu já conheço essa sensação, Fábio... isso para mim não é nada de novo!", é claro que se alguém ler isto tudo (o que venho a escrever) poderia me dizer isto. Eu diria, "eu também já conheço isso, já passei muitas e muitas vezes por isto, não só agora, mas na minha infância (por não receber aquele brinquedo), na minha adolescência (por não ter um amor correspondido) e agora, talvez por não ter algum objectivo agora... "

E agora foi mais uma vez de dizer BASTA! Mudar novamente de hábitos, de pensamentos e reacções, aproveitando os dias pra ir conhecer, aproveitando o facto de viver na cidade onde a cultura está a espalhada, onde a paisagem é inexplorada pelos por mim então é bela todos os dias, onde há tanta coisa por fazer e conhecer. E como é bom me sentir assim novamente, tenho vindo todos estes dias a me lembrar muito bem o que aconteceu neles e coisas que aprendi. E isto vem gerado mais uma vez oportunidades para mais dias assim e contagiando as pessoas a minha volta, ainda há muito p'ra fazer, muito gelado para comer e muito mais cigarros no maço...

 Depois de uma queda no buraco do "down", eu mexi no rato e liguei novamente o computador, e reparei que estavam diversos diapositivos em modo hibernação, um era o cérebro e o mais importante o coração.    


sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Síndrome Guillain-Barré ... A força de vencer o virús

É com muito respeito, consideração e orgulho que vou vos contar esta história...

Tenho um conhecido, uma pessoa amiga que conheço já não sei há quantos anos, que sempre foi uma pessoa enérgica, muito faladora, que curtia muito, fazia uma vida completamente normal como escola, trabalho e amigos. Uma pessoa que apresentava-se bem fisicamente como psicologicamente, mas que de um momento para o outro, fora apanhada de surpresa com uma doença rara chamada de síndrome de Guillain-Barré ou polirradiculoneurite aguda.  Esta doença  é uma "doença desmielinizante caracterizada por uma inflamação aguda com perda da mielina (membrana de lipídeos e proteína que envolve os nervos e facilita a transmissão do estímulo nervoso) dos nervos periféricos e às vezes de raízes nervosas proximais e de nervos cranianos (nervos que emergem de uma parte do cérebro chamada tronco cerebral e suprem às funções específicas da cabeça, região do pescoço e vísceras)." (fonte: wikipedia) 
Sem dar por ela, ele começa por perder a coordenação motora, e a força de seus músculos e reflexos é internado por algum tempo e começa por fazer tratamentos... 

Eu nunca tinha percebido o que se tinha passado com ele, pois desconhecia totalmente o que era isto e o que se estava a passar. Sei que o encontrei algum tempo depois e ele não era bem a pessoa que eu conhecia, mas nunca tive um sentimento de pena, é claro que fiquei triste por saber disto tudo mas comecei também por ter fé em sua recuperação que me disseram ser possível... 
o tempo vai passando e começo a ver os seus desenvolvimentos através de uma rede social, e frases que no meio de tanta dificuldade e obstáculos traziam alegria e coragem. Frases de quem quer vencer e que vence... cada coisa nova por mais simples que seja é uma vitória. Ele para mim é um exemplo de coragem e vontade e, se Deus quiser ele breve estará o mesmo "gajo" a mil a hora.
 Coragem meu rapaz e foi com muito orgulho que escrevi a tua história, de maneira resumida mas vitoriosa!!!

VOLLE EST POSSE

E para ti que pensa que só acontece os outros, os outros pensam o mesmo!
Aqui vão algumas mensagens dele sobre a evolução ...


8 de Junho de 2010

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Tenho de dizer eu me amo

Hoje venho desabafar... A semana passada comecei novos objetivos,um deles é gostar mais de mim... não no sentido individualista mas no sentido que me torne novamente na pessoa que fui um dia. Poder estar à  vontade comigo e  que as pessoas que me rodeiam também se sintam. Assim, para atingir tudo isso começo por fazer coisas que adiei por muito tempo. Tenho andado a aproveitar o tempo em que estou parado para poder tratar da embalagem do meu espírito. Alguma roupa nova e novo visual, ida ao dentista (já precisava e MUITO) e ida ao cabeleireiro. São pequenas coisas,que por vezes quase insignificantes mas que dão mais forças, mais vontades e por vezes mais conhecimentos e isso tudo me faz um pouco mais feliz e por ventura ajuda em situações exteriores. Assim espero poder continuar a progredir e querer mais.
volte est posse